Ah, os livros!

Uma coisa extremamente importante sobre mim é: eu adoro ler. Desde criança, pelo que eu me lembro, sempre fui a menina que ia na biblioteca e pegava pelo menos uns 2 livros pra ler durante a semana. E quase sempre lia todos. Era a que lia os livros da ficha de leitura, não só os resumos, por mais chatos que fossem. Adorava a disciplina e literatura, poder discutir todas as historias e relacionar com o momento em que aconteciam.
Mas acho que minha relação mais profunda com o livros começou aos 11 anos, quando li Harry Potter pela primeira vez. Digo isso porque os livros da escola eram pequenos, rápidos, então eu não sabia de verdade o quanto eu amava literatura até colocar os olhos em um livro grosso, de 300 páginas e passar uma tarde inteira com ele sem conseguir desgrudar os olhos.
A partir daí eu não consegui mais parar e, como tudo na vida, eu tive fases literárias. Comecei com livros de fantasia, historias adolescentes, clássicos da literatura mundial, best sellers, até chegar no meu gênero preferido, os romances.
Por trás dessa carapuça meio mal-humorada, direta e anti-social, eu adoro as relações humanas e sou muuuito romântica. Não confundam isso com iludida, porque eu sou muito realista em relação as diferenças entre a minha vida e os mocinhos dos livros. Mas gosto de ler tantas historias de amor bonitas, com finais felizes (sim, eu não gosto dos dramas e finais tristes… hahaha).
O meu maior problema é: eu leio muito rápido. Fico ansiosa com os acontecimentos da historia e vou atropelando a leitura, deixando muitas vezes de saborear a história como deveria (desculpem, autores!). Mas pra compensar isso, gosto de reler a maioria dos livros que leio. Se eu gosto muito dele, leio muitas vezes e consigo reviver todos os detalhes.
Depois de muitos anos de leitura, muitos títulos lidos e vontade de compartilhar minhas experiencias literárias, só quero deixar aqui registrado que em breve vou criar um canal no Youtube pra falar um pouco disso e poder relembrar tantos momentos bacanas que a literatura me proporcionou.
Então, nos vemos em breve no canal. E por aqui também, é claro!

Cinema 2017

Todo ano eu fico super empolgada com as estreias cinematográficas do ano. Nem sempre consigo assistir todas, mas faço um esforcinho. Esse ano os super heróis reinaram na lista, mas eles tem a vantagem de ter suas estreias anunciadas a muito tempo. Mas juro que esse ano vou compartilhar algumas aventuras de cinema/séries/animes com vocês.

Mas, voltando ao que interessa, o cinema 2017 nos reserva:

1 – Star Wars: Episódio VIII

É claro que esse é o mais esperado. Quem duvidava disso? Acho que eu não preciso explicar pra vocês o porque do filme ser o primeiro colocado nessa lista, mas caso vocês precisem de um bom motivo, ele se chama Rey. Agora é hora de vermos o que aquele encontrinho com o Luke Skywalker vai nos mostrar. É difícil falar dele sem dar spoilers do anterior (não quero estragar o amor de quem foi louco de não ver o anterior), mas ainda to abalada com a morte de um personagem amor. E, gente, me despedir da Carrie Fisher, minha princesa inspiradora.

cd9802ded2d2c47066a654f834dd73f5
É tudo que temos. E nem é desse filme… 😦

Não tem sinopse, não tem nada. Mas tem muito amor e vontade.

2 – Mulher Maravilha

Porque ela é maravilhosa, diva, rainha das super-heroínas e representante master da força feminina no meio dos super-heróis machos. Ela é a primeira que realente teve voz e se sobressaiu no meio dos caras poderosos e fez as meninas perceberem que também podiam ser heroínas quando isso era muito difícil. Além disso, Gal Gadot é linda, maravilhosa, forte e mostrou a que veio no Batman vs Superman e queremos mais. Vamos conhecer a história da Diana e como ela vem parar no nosso mero mundinho.

Estão vendo que usei muitos adjetivos nessa descrição, porque é isso né!

3 – Liga da Justiça

Porque eu assitia o desenho no Cartoon Network nas madrugadas e agora quero muito ver todos aqueles heróis sendo massas num filme. Como Batman e Mulher Maravilha vão juntar todo mundo pra salvar a Terra?

Só espero que tenham feito um que faça sentido, já que Esquadrão Suicida ano passado…

298853

Superman, Superman, Superman!!!!!

4- Thor: Ragnarok

Porque pra mim o melhor herói da Marvel é o Thor e tem os filmes que eu mais gosto, hahahahaha! E vai ter dobradinha com o Hulk (que nem gosto, mas Mark Ruffalo é amor) nos universos lá fora e to muito curiosa.

Sinopse não existe, mas existe o Thor então tá tudo certo.

5 – Power Rangers

Eu desconfio que vai ser uma bomba, mas depois de anos acompanhando horas de morfar, não tem como não ficar ansiosa com a estreia do filme. Tinha que ter uma participação especial dos antigos, mas não vai rolar gente. Mas poderemos ver Elizabeth Banks como a Rita! É aquela historia básica que conhecemos, ataque alienígena e aí a galera é recrutada. Vamos ver o que sai.

006584
Ritinha!

Bônus: Cinquenta tons mais escuros

Desculpa, gente, mas é a vida. To muito curiosa pra assistir esse filme, não importa o quanto eu ache o livro ruim. hushsuhsuhsuhs! Provavelmente não vou ver no cinema, mas vale querer ver, né? Tenho que confessar, é culpa no James “Caçador” Dornan. Nunca superei a morte dele em Once Upon a Time.

Dessa vez a historia continua após o termino do casalzinho. Mas eles voltam no comecinho tá gente. Spoiler, sim, porque sim! E aí sem segredinhos e sem castigos dessa vez. Mas aí as coisas do passado do Christian vão começar a aparecer e a gente vai entendendo (?) porque ele tem 50 tons de cinza e escuros. Com direito a abusadoras de menores, ex namoradas loucas e chefe tarado. Não percam (ou percam, que é melhor… hsuhsuhuhs).

 

 

Metas para 2017

Um novo ano é pra gente repensar a vida, os objetivos e buscar um novo destino. Acho que sem metas a gente não consegue ser produtivo de verdade. Mas elas tem que ser alcançáveis. Se ela for muito grande, a gente deve dividir elas em pequenas metas. E é isso que eu faço com os meus sonhos. Divido eles em metas anuais, para ter uma ano melhor. Nesse ano, o objetivo é melhorar minhas habilidades e minha qualidade de vida. Então vamos lá!

1 – Beber mais água
Esse é um desafio constante na minha vida. Não gosto de beber água, mas é preciso. Só que eu esqueço e não bebo.
A solução desse ano é tentar fazer água saborizada e ir mudando gradativamente. Vamos ver se da certo.

2 – Diminuir o consumo de carne
Sabemos que o consumo de carne é gigante, com proporções desnecessárias e causa um enorme impacto ambiental. Como parte do meu objetivo de ser uma pessoa mais sustentável para o mundo, estabeleci como metas prioritárias.
– Segunda sem carne
– Uma semana por mês, não consumir carne no almoço
– Um dia no mês, não consumir produtos de origem animal
– Limitar o consumo de carne vermelha por semana (ainda não escolhi a frequência)
Assim a gente muda alguns hábitos, nos tornamos mais saudáveis e ajudamos o planeta.

3 – Ler 30 livros
Pra mim, essa é a mais fácil. Quero igualar o número de livros que li em 2016, mas quero dar uma variada nos temas. Foram só romances, mas esse ano já estabeleci algumas metas de leituras diferenciadas. Vou fazer um relato em vídeo das minhas experiências e postar por aqui.
Esse número são livros novos, ok? Releituras não contam.

4 – Fazer exercícios físicos
Ano passado eu estava fazendo pilates, mas por conta da mudança de cidade acabei tendo que parar e minhas finanças não permitiram voltar. Esse ano a meta é voltar a fazer alguma coisa, mas ainda não decidi o que, pra encaixar nesses meus horários doidos de cidade grande.

5 – Acordar mais cedo
Eu sempre tive uma dificuldade bem grande de acordar cedo e fazia por obrigação. Mas o objetivo aqui é acordar mais cedo pra fazer coisas úteis antes de ir trabalhar.
Meta inicial: 7 da manhã.

6 – Aprender LIBRAS
Deixa eu contar uma coisa que aposto que a maioria dos leitores nem sabem (ou não querem admitir que não sabem): LIBRAS é um idioma oficial do Brasil. É o segundo do nosso país, aliás. E eu acho muito triste que esse tipo de coisa não seja aprendido na escola, porque elimina uma forma de comunicação com as pessoas e dificulta a acessibilidade no meio social. Confesso que não sei o que fazer caso encontre uma pessoa surda e me deixa triste não poder me comunicar com ela.

7 – Passar creminhos no rosto
A idade tá chegando né, pessoal. Eu tenho a pele muito sensível e ando tendo muitos problemas com os lindos cravos no meu rosto. Isso quer dizer que manchas virão e é possível eu ficar com espinhas iguais as que eu tinha com 13 anos. Então vamos cuidar da pele pra ela ficar apresentável pras pessoas e eu não parecer uma adolescente no trabalho.

8 – Estudar inglês
Não adianta, é necessário saber o idioma pra poder se comunicar com o mundo. Eu estou investindo há uns meses no Duolingo e já reaprendi muita coisa. Minha meta agora é chegar aos 100% dele e conseguir ler fluentemente o idioma. Quem sabe fazer um curso (isso vai depender das finanças).

9 – Ir em um show legal, de uma banda que eu goste muito
Esse ano teve alguns shows que eu gostaria de ir e não fui. Pro ano que vem, quero escolher uma banda legal e ir num show ser feliz, já que nunca fui me muitos de bandas que eu sou fã mesmo.

10 – Fechar um jogo de vídeo-game
É uma meta complicada porque eu não ando jogando muito vídeo-game. Mas sinto falta disso e os jogos são bons pra estimular o raciocínio. Vou aproveitar e treinar meu inglês também. hahahahaha. Tenho que conseguir fechar pelo menos 1.

Me desejem sorte!

Resoluções para 2016

Eu encontrei esse texto no rascunho do blog. Eu estava escrevendo as metas para esse ano e nunca cheguei de fato a terminar. Mas parece que é horas de dar um check nas que eu propus no ano passado, pra dar um gás pra esse ano.

1 – Me mudar

Eu já tinha esse plano há alguns anos, que teve uma leve mudança ao longo do caminho. Mas a meta desse ano foi cumprida. Sai e Criciúma e vim pra São Paulo. 😀

2 – Exercícios físicos

Eu cumpri a meta por meio ano. Fiz pilates até me mudar pra SP e não continuei aqui por motivos financeiros. Mas estou fazendo um planejamento pra voltar a fazer algum exercício ano que vem.

3 – Água

Nessa meta eu falhei miseravelmente, de novo. Mas um dia eu consigo, vamo que vamo!

4 – Fazer minhas Tattoo

Por um acaso eu ganhei um sorteiozinho e ela foi feita. Morri de medo, doeu sim, mas ela ta aqui linda e maravilhosa. Virão mais umas.

5 – Ler pelo menos 30 livros

HAAAAA. Essa foi a meta mais fácil do ano. Cumpri com louvor, só não diversifiquei a leitura. Basicamente foram romances. Mas é porque eu não tinha uma lista, então só ia na onda. Pro ano que vem vou fazer uma lista maravilhosa e vocês vão poder acompanhar o resultado pelo meu novo projetinho.

Em um outro post vou escrever as metas de 2017. Coisas novas virão!

 

Princesas são para meninas?

Esse texto começou há alguns dias atrás. Mas antes de publicar, vi um vídeo sobre uma coisa chamada “Escola de Princesas” e acho que valia uma reflexão mais profunda.

Em uma olhadela rápida no meu Facebook, tinha um post de um shopping anunciando as princesas Disney como atração de dia das crianças. Até aí tudo bem, nada anormal, crianças gostam delas. Mas eu resolvi ler os comentários e os problemas começaram. Em alguns comentários, vi mães sugerindo algo para os meninos, como super-heróis. Mas teve algo que me fez refletir profundamente.

“Pq só pras meninas, meninos não são crianças? :/

Em NENHUM lugar do post está condicionado que o evento é só para meninas. Nada impede nenhum menino de participar do evento. Uma coisa é levar em consideração que meninos preferem outras coisas, mas aí condicionar a participação porque “Isso não é coisa de menino” fazem a gente refletir algumas coisas.

Isso é um grave problema que condicionamos as crianças desde cedo e que é amplamente discutido: super-heróis são para meninos, princesas para as meninas. As crianças são condicionadas a isso, a terem essas preferencias. POR QUE????? Acho que se os pais souberem olhar pelos pontos de vista certo, tudo será para todos.

Aí menos de uma semana depois eu me deparo com um vídeo ensinando as meninas a serem princesas. Esse vídeo trata questões como etiqueta, ajudar nas tarefas domésticas, agradar as pessoas ao seu redor. E aí dizem que as meninas terão um futuro brilhante desta forma. Mas não mostraram aí todos os valores das princesas. Por que apesar da imagem fortificada dessas aptidões por conta da cultura, sociedade e contexto em que elas foram apresentadas ao mundo. Cuidar da beleza, esperar o príncipe encantado pra que possa ser feliz para sempre. Aprendemos isso, certo? Então vamos analisar algumas dessas histórias por outra perspectiva.

A Branca de Neve fugiu de casa para deixar de viver um relacionamento abusivo com sua madrasta, se virou sozinha na floresta, conheceu os anões e não teve medo de enfrenta-los pra conseguir uma nova casa e ajudou os sete a construir um novo lar. Ela já estava muito feliz sem o príncipe por ali. Mas ela o conheceu depois de ele tê-la acordado (por uma fatalidade, devo dizer) e ela continuou feliz pra sempre.

A Cinderela queria realizar o sonho de ir no baile, o que é uma metáfora pra conhecer um mundo novo e diferente do dela (vemos aqui mais um relacionamento familiar abusivo). Ela enfrentou a madrasta, teve uma ajudinha da fada e tomou coragem e foi. Conhecer o príncipe e se apaixonar por ele foi um detalhe posterior. Isso só foi possível porque ela estava feliz consigo mesma por ter ido até lá.

Nem vou comentar aqui sobre a Bela ter salvado a Fera, a Mulan ter salvo a China toda e por aí vai. E pra quem reclama da mocinha terminar com o príncipe: quem disse que isso é ruim? Elas tinham objetivos na vida e aos estarem no caminho certo encontraram alguém com quem dividir e viver a vida. Foi uma escolha ficar com o príncipe, não uma imposição.

E claro, as protagonistas são meninas. Então porque os meninos iam gostar de algo como isso? Vai ver porque ensinamos eles desde cedo que o negócio deles é carrinhos, lutas e meninos fortes. Não pessoas fortes. Meninos fortes. As meninas são delicadas, fofas e só gostam de romance e cuidar da casa.

O que eu quero dizer que em todas essas histórias vamos ver pontos de vistas bons e ruins. Mas a questão é: pra qual ponto de fato vamos dar valor? Em vez de desencorajar as crianças a verem, vamos mostrar pra elas o que é certo e o que é errado. Por que no fim das contas, eles ensinam tudo.

Eu particularmente nunca me identifiquei muito com as princesas, mas acho que era mais o fato de elas usarem vestidos, sapatos, sapatilhas e coisas do tipo. E limparem a casa (porque eu odeio tarefas domésticas). Mas não gosto menos de ouvir as histórias delas, amo os filmes de princesa (pelo menos a maioria deles) e quero dançar igual a Cinderela num baile. Hehe!

E pra finalizar, fiquei muito feliz ao ler este comentário sobre o evento de dia das crianças.

“Vamos levar o João? :D”

Porque, sim! Meninos podem ver, se divertir e brincar com as princesas também. Meninos e meninas devem compartilhar as coisas, não terem suas brincadeiras e gostos segregados.